O que é meditação?

Guia Completo: O que é meditação, como praticar e quais seus benefícios?

Atualmente, o ato de meditar vem se fazendo presente na vida das pessoas, cada vez mais vemos indivíduos buscando aprender esta arte para começar a praticá-la, mas afinal, você sabe o que é meditação?

A sua origem é desconhecida, mas os registros encontrados indicam que ela surgiu séculos atrás no oriente.

Ao contrário do que muitos dizem por ai, a meditação não é uma religião. Ela possui em suas raízes tradições principalmente budistas, mas você não se torna um budista ao praticar meditação, isto é um mito!

Agora que entendemos um pouco da sua origem, vamos entender o que é a meditação.

O que é meditação

Pode-se dizer que milhares de pessoas ao redor do mundo praticam a meditação, esta prática está ganhando espaço na vida dos seres humanos. A partir dessa disseminação da meditação muitos conceitos e técnicas foram modificados conforme a região e cultura de cada lugar.

A essência do que é a meditação continua a mesma, quem a prática busca a evolução da mente para alcançar altos níveis de concentração, foco no momento presente e relaxamento.

Entretanto, a meditação vai além, ela proporciona diversos outros benefícios para o ser humano, alguns deles são:

  • Melhora na qualidade de sono;
  • Melhora no humor;
  • Ajuda no combate e prevenção da depressão;
  • Auxilia no tratamento da ansiedade;
  • Auxilia no tratamento de doenças e dores crônicas;
  • Ensina a pessoa a observar seus pensamentos com mais clareza

Como praticar a meditação

O conceito do que é meditação pode ser bastante amplo, cada povo irá defini-lo de uma maneira e com a finalidade que deseja, sendo assim a forma que você irá praticá-la também pode ser feita de diversas maneiras, não existe uma regra.

Vamos começar pelo posicionamento da pessoa, se você tiver uma boa elasticidade pode sentar-se em posição de lótus/Buddha, essa posição consiste em você sentar-se em uma superfície plana (como o chão), cruzar as pernas uma sobre a outra mantendo a sola dos pés para cima e as mãos sobre as coxas com as palmas voltadas para cima.

Posição de lutus na meditação

Posição de lutus na meditação

Se esta posição for difícil para você e lhe causar muito desconforto pode buscar outras maneiras de se sentar, pode sentar-se sobre uma almofada, sofá, cama ou até mesmo uma cadeira, o importante é estar confortável para que durante a sessão seu foco não seja desviado pelo incomodo e dor.

Quando achar a posição ideal, relaxe! Mantenha uma postura ereta da coluna, cabeça e pescoço erguidos e ombros relaxados.

Hora de começar a praticar, recomendamos que você comece a meditar com a ajuda de um profissional qualificado, aqui na Mais consciente você tem acesso aos melhores guias.

Mas, se ainda assim prefere fazer sozinho, comece se concentrando na respiração, ela é o ponto principal. Se estiver com dificuldade procure algumas técnicas próprias para isto que poderão te auxiliar.

Em seguida, uma maneira bem fácil de você conseguir meditar sozinho é utilizando mantras. Repetir frases e palavras positivas também ajudam neste processo de mentalizar boas energias e relaxar.

Procure um local adequado, um local calmo, tranquilo onde você se sinta bem, pode ser na sua casa ou em um parque, às vezes a natureza ajuda a relaxar e ficar em paz. Você também pode ligar músicas calmas, com sons de mar, chuva, pássaros cantando, o que achar melhor para te ajudar a relaxar.

O tempo de meditação varia, para quem esta começando, procure fazer sessões de 5 a 10 minutos, comece gradualmente para se acostumar e vá aumentando a duração de cada sessão conforme seu corpo acostumar e você sentir necessidade.

Não comece mudando radicalmente sua rotina. Procure encaixar esses minutos de meditação em algum momento do seu dia e lembre-se de sempre planejar.

Se deixar para escolher no dia qual horário você irá meditar, pode ser que aconteça de você esquecer ou ainda utilizar este horário para fazer outras tarefas que julga ser mais importante.

Objetivo da meditação

Quando estamos meditando toda nossa energia, mente e foco é voltado para nós mesmos, com isso podemos compreender que a meditação tem como principal objetivo garantir a elevação no nível de concentração e entendimento do nosso estado espiritual.

A meditação vai além do que uma simples atividade de relaxamento, ela possibilita a conexão da mente com o corpo e assim, permite que o indivíduo se eleve.

Ainda sobre a conexão de corpo e mente, quando trabalhamos estes dois campos juntos o individuo passa a ter um maior autoconhecimento e aumento da sua autoestima.

Benefícios da meditação

Existem inúmeras pesquisas que comprovam a eficácia e os benefícios que a meditação proporciona para cada pessoa, inclusive recentemente contamos com detalhes como a meditação pode ajudar pessoas ansiosas a terem uma qualidade de vida melhor.

Falamos muito em relaxamento e melhoras na nossa mente e estado espiritual, mas a meditação também é um ótimo aliado para a melhora do sistema respiratório e circulatório.

Agora que já conhecemos um pouco sobre o universo da meditação que tal começarmos juntos a meditar? Separe alguns minutos do seu dia para realizar esta prática, com o tempo você ira perceber uma melhora na sua qualidade de vida.

Meditação para ajudar com a ansiedade

Meditação no tratamento da ansiedade! Funciona?

Pode-se dizer que a meditação nos ensina a trabalhar a mente de forma que ela fique relaxada e tenhamos controle dos nossos pensamentos para assim, observá-los com mais clareza.

Quando aprendemos a nos concentrar com sabedoria, passamos a nos organizar melhor, observar melhor e relaxar.

Com essa elevação da mente começam a surgir alguns efeitos positivos em nosso corpo e estado espiritual.

No artigo de hoje falaremos como a meditação ajuda no tratamento da ansiedade e como você pode começar a aplicar.

Alguns destes efeitos são:

  • Melhora no tratamento e combate a depressão;
  • Noites de sono mais tranquilas (diga adeus para a insônia);
  • Diminuição do estresse;
  • Melhora na concentração e foco para realizar tarefas e exercícios do cotidiano;
  • Controle da ansiedade.

E dentre todos os benefícios e melhoras que a meditação proporciona, hoje iremos falar sobre o controle da ansiedade, como a meditação pode ajudar pessoas ansiosas a terem uma qualidade de vida melhor.

Primeiro, vamos entender o que é a ansiedade

Ansiedade é uma condição natural do ser humano, todos nós somos um pouco ansiosos, quando esperamos a resposta de uma entrevista de emprego, o resultado de um vestibular, de uma prova ou quando esperamos a chegada de alguma pessoa querida, tudo que seja fora, diferente do nosso cotidiano nos causa sintomas de ansiedade.

A ansiedade deixa de ser algo natural e passa a ser uma psicopatologia quando começa a nos afetar em níveis muito altos, algumas pessoas passam a deixar de fazer algo com medo do que possa acontecer depois, seu mundo gira em torno do futuro.

Nesse momento é hora de procurar ajuda profissional, um médico psiquiatra ou psicólogo poderão te orientar a respeito de tratamentos e até mesmo medicações em alguns casos.

O que causa a ansiedade

Não existe uma causa comprovada sobre o que gera a ansiedade, sabemos que ela pode ser causada por inúmeros fatores, dentre eles têm:

  • Genética;
  • Ambiente;
  • Rotina muito agitada;
  • Atividades diferentes do que está acostumado;
  • Espera por algo e alguém.

Como saber se sou uma pessoa ansiosa?

Assim como outras psicopatologias, o diagnóstico da ansiedade é complexo e requer muito estudo do seu quadro clinica, paciência e consultas frequentes ao psiquiatra.

Somente um profissional qualificado pode diagnosticar uma pessoa, portanto se estiver com suspeitas da doença procure ajuda.

Confira quais são os sintomas mentais e físicos característicos da ansiedade.

Sintomas psicológicos:

  • Tensão e nervosismo constantes;
  • Sensação de que algo ruim vai acontecer e medo;
  • Falta de concentração;
  • Preocupação excessiva;
  • Insônia, irritabilidade e inquietação

Sintomas físicos:

  • Dor ou desconforto no peito, coração acelerado;
  • Respiração ofegante ou falta de ar;
  • Sudorese (principalmente mãos e pés);
  • Tremores (principalmente das mãos);
  • Nauseá;
  • Tensão muscular;
  • Dor de barriga ou diarreia.

Agora que já sabemos o que é a ansiedade, vamos entender e descobrir como a meditação pode nos beneficiar.

Benefícios da meditação para pessoas ansiosas

Não é segredo que o assunto em destaque atualmente no mundo é a meditação, junto com o mindfulness e seus benefícios.

Com todos estes destaques para estas duas práticas inúmeros artigos e pesquisas foram sendo realizadas por diversas instituições e universidades renomadas ao redor do mundo.

E uma das pesquisas mais famosa foi realizada por uma universidade dos Estados Unidos chamada “Universidade John Hopkins”, dentre as pesquisas realizadas por eles, observaram que a meditação e o cuidado com a saúde mental pode ser benéfica para aqueles que sofrem de ansiedade, depressão e até algumas dores físicas.

Mas ainda, a meditação não cura nenhuma dor, ela apenas ajuda a reduzir os sintomas negativos.

Já no caso das doenças causadas pela mente, como a ansiedade, a meditação pode ser muito eficaz no tratamento.

Agora você deve estar se perguntando: como a meditação ajuda no tratamento da ansiedade?

A resposta é bem simples

Uma pessoa ansiosa fica se questionando e tentando solucionar problemas futuros, pensando no que pode acontecer depois, quais problemas poderão surgir ou não e como ela irá solucioná-los.

Por outro lado, a meditação traz nossa mente para o agora, o que está acontecendo neste presente.

Na meditação não existe pensar e tentar solucionar problemas futuros, que é justamente o causador da ansiedade.

Os obstaculos da meditação apra iniciantes

Os 7 maiores desafios de um iniciante na meditação, como supera-los?

Não é de hoje que você deve ouvir falar da meditação e seus benefícios, não é mesmo?

E mesmo sendo essencial para nossa vida e extremamente benéfica à meditação ainda impõe algumas barreiras para algumas pessoas.

Mas como tudo que é bom não vem fácil, primeiro é preciso entender quais são suas dificuldades na hora de meditar, encarar estes obstáculos e aprender a solucioná-los.

Só assim, depois deste processo você realmente irá incorporar a meditação na sua vida e tornar esta prática algo regular e de extrema importância para você.

Vamos juntos entender quais são as dificuldades mais comuns encontradas por quem está começando a meditar.

1. Falta de tempo

Como lidar com a falta de tempo para meditar

Como lidar com a falta de tempo para meditar

Posso afirmar com toda a certeza que a falta de tempo é o maior obstáculo para quem está começando a meditar.

Vivemos em um mundo louco, onde o tempo não para, muitas vezes às 24 horas do dia se tornam poucas para realizar tantas tarefas e tantos trabalhos.

Mas posso te passar algumas dicas de como você pode meditar durante o dia.

A primeira dica é: utilize seu tempo de espera para meditar.

Ao todo passamos quase 60 minutos por dia esperando, seja na fila para almoçar em um restaurante, no mercado, banco ou então no transporte para ir ao trabalho, às vezes dentro de um ônibus ou dentro de um carro em um engarrafamento.

Percebe que em diversos momentos você está “parado”?

Use isso ao seu favor, a meditação não precisa ser necessariamente sentada, basta você relaxar, e se fazer presente naquele momento.

Perceba como está sua respiração, observe seus movimentos, observe a batida do seu coração, mentalize coisas boas, deseje ter um bom dia de trabalho, uma boa viagem de volta para seu lar, uma noite tranquila de sono.

Segunda dica: pratique a meditação quando estiver com seu animal de estimação.

Reserve um tempo do seu dia para levar seu cachorro no parque, além de ser bom para o seu animal (ajuda a desestressar) pode te ajudar a separar um momento para meditar.

Quando estiver caminhando, observe os pássaros, as árvores, sinta o vento tocar sua pele, respire com calma, aprecie o ar puro, observe seus passos e o caminhar do seu cachorro.

Se você morar próximo a um parque que tenha uma vista bonita, aproveite este momento com seu cachorro e vá meditar. Sente-se no chão e relaxe, observe a paisagem, faça carinho no seu animalzinho.

Mesmo se você tiver um gato e ele não for acostumado a sair com coleira para passear, aproveite os minutos que você brinca com ele, acaricie seu pet, sinta a pelagem do seu animal.

Estes exercícios simples podem ser uma ótima alternativa para você começar a meditar.

A última solução para a falta de tempo para meditar é dizer para você aproveitar alguns momentos do seu dia, ao acordar, depois do café, depois do almoço, depois do jantar, antes de dormir, durante estes períodos sempre sobram alguns minutinhos.

E se sobrar 5 ou 10 minutos que seja, utilize estes minutos para sentar no conforto da sua casa e meditar, a meditação no lugar de uma sonequinha pode ser mais valiosa.

2. Mente muito agitada

Meditação para mentes agitadas

Meditação para mentes agitadas

Já foi explicado em outro post “05 Mitos sobre a Meditação” que é mentira dizer que a meditação ensina a pessoa a manter a mente limpa, sem pensamentos.

O correto é dizer que a meditação nos ensina a ser observadores dos nossos pensamentos, ou seja, olhar com mais clareza para aquilo que temos em mente.

Devido à rotina estressante que vivemos é normal estar com um turbilhão na mente e mais difícil ainda é conseguir relaxar.

Mesmo aqueles que meditam há muito tempo às vezes não conseguem organizar os pensamentos e está tudo bem, o importante é não se frutar e não se deixar abater com isso imaginando que esta fazendo algo de errado.

3. Desconforto físico

Desconforto fisico na meditação

Desconforto físico na meditação

Além deste desconforto mental de estar com um turbilhão de pensamentos, o desconforto físico também pode atrapalhar na hora de meditar.

Algumas pessoas não possuem a flexibilidade necessária para sentar-se em posição de lótus ou apenas de pernas cruzadas normalmente.

Outro desconforto pode ser ao sentar-se em almofadas que não suportam seu peso, com o tempo você vai ficando torto e ficando desconfortável.

A solução para este problema é testando, experimente meditar sentado no sofá, cadeira, cama ou em um banquinho. Alguma posição será boa e você vai conseguir relaxar.

4. Tédio e sono

Tédio e sono na hora de meditar

Tédio e sono na hora de meditar

É tão difícil desacelerar os pensamentos que quando conseguimos fazer isso sentimos aquela sensação de estar na hora de dormir e ai vem o sono.

Ou então quando você desacelera os pensamentos, não sobra muitas coisas para fazer, então também nos resta ficar entediado.

Esses dois fatores, sono e tédio são os principais motivos do abandono da meditação, a pessoa fica tão desmotivada sem saber como lidar com esse relaxamento que acaba taxando a meditação como algo ruim.

A única solução é que você persista, continue meditando, conforme se acostumar com essa desaceleração você irá aprender a sentir seu corpo e como é bom estar vivo!

5. Espera por resultados imediatos

A meditação é um processo e um progresso. Se praticado diariamente e da forma correta, com o tempo você irá aprender a sentir seu corpo e as energias positivas em sua mente.

Não ache que começando a meditar hoje você já vai notar as melhoras e os benefícios da meditação, leva tempo, é preciso ter calma e paciência.

6. Não perceber o progresso

Quando começamos a meditar queremos resultados imediatos, conforme o tempo passa e a nossa prática melhora não percebemos o progresso e os seus benefícios.

É mais fácil outra pessoa perceber nossa evolução e melhora no humor (por exemplo) do que nos mesmos, e é completamente normal que não notemos as mudanças e evoluções, muitas vezes não nos vemos com tanta clareza.

É como se você convivesse com uma pessoa que está de dieta e não percebesse os resultados com tanta clareza igual um conhecido que a vê ocasionalmente.

Portanto, não fique preocupado com as recompensas, se preocupe em fazer corretamente e os resultados virão. Se preocupe com o presente.

7. Estabeleça uma prática regular

Apesar de uma das soluções apresentadas para a falta de tempo seja meditar quando estamos esperando, esta também pode ser uma barreira em alguns casos.

É importante determinar e separar um momento do dia para sentar-se e realmente meditar, se não levarmos a meditação realmente como uma obrigação outras tarefas se tornarão mais importantes e tomarão o tempo desta atividade.

Um dia você deixa de meditar para passar uma roupa, outro dia você deixa de meditar para adiantar um serviço ou trabalho, no outro dia você está exausto e tudo que quer é ler um livro ou assistir algo que goste para relaxar. O tempo vai passar e quando perceber vai fazer 1 mês desde a última vez que você meditou.

Portanto, reserve um momento do seu dia apenas para sentar e realmente meditar, não precisa ser muito, de 5 a 10 minutos é o suficiente para quem está começando, e afinal, é melhor meditar 5 minuto todos os dias do que meditar apenas alguns dias na semana.

Conclusão

A meditação pode até parecer algo difícil no começo, você pode até dizer que pra você não funciona ou que você não serve para isso.

Mas a meditação é para todos e com o método certo, você obterá ótimos resultados em um curto espaço de tempo.

Caso queira aprender a dominar as práticas da meditação e do Minfulness conheça nosso curso. Clique aqui!

 

Entenda a diferença entre mindfulness e meditação

Qual a diferença entre mindfulness e Meditação?

A meditação nos últimos anos vem se fazendo presente na vida das pessoas e ela nada mais é do que aprender e entender a mente para acalmá-la e acabar com o sofrimento humano.

Existem mais de 500 tipos de meditações, elas variam de acordo com a cultura e tradições espirituais ao redor do mundo.

Se você já é um praticante da meditação ou esta começando suas buscas para aprender esta arte agora, já deve ter se deparado com a palavra “Mindfulness”.

Mindfulness anda lado a lado com a meditação, mas você sabe o que ele significa e quais as diferenças?

Neste artigo sobre meditação e mindfulness, a mais consciente trabalha as diferenças e desmitifica cada uma das práticas para você.

Mindfulness – O que é

Apesar de possuir em suas raízes conceitos da meditação budista (busca pela serenidade) o mindfulness ensina a pessoa a ter foco e atenção.

O mindfulness não controla a mente, ele ensina a pessoa a desenvolver a capacidade de estar focado no momento presente, em outras palavras você desenvolve a consciência. Também é um conjunto de práticas que treinam a pessoa para desenvolver um estado de atenção plena.

O mindfulness é um exercício que pode ser praticado durante todo o dia, afinal ele é o ato de prestar atenção e estar presente de corpo e alma em qualquer local.

Suas diferenças

Três passos básicos diferem o mindfulness da meditação, esses passos são:

  • Não há a utilização de mantras, o mindfulness utiliza o corpo e a respiração;
  • Sua base de formação e aperfeiçoamento é a ciência moderna e suas pesquisas;
  • Utiliza os benefícios das práticas milenares (principalmente o budismo) de forma laica, sem vínculo com religião.

Meditação – o que é

A meditação engloba muito mais coisas que o mindfulness, a meditação busca centralizar suas energias na serenidade e controle da mente do ser humano.

Direciona as energias da pessoa para atrair e mentalizar coisas boas.

A meditação é uma prática que deve ser realizada em um momento reservado apenas para isso, toda a concentração deve estar voltada para as energias desejadas.

Além disso, a meditação utiliza artifícios como mantras, repetições de palavras/frases para potencializar as energias que deseja conquistar.

Afinal, qual escolher e praticar?

É errado dizer que você fazer um ou fazer outro, de modo geral às duas práticas se completam.

Comece refletindo sobre o que você quer melhorar. Atenção plena e constate consciência do presente ou paz interior e controle da mente?

Claro que tanto a meditação quanto o mindfulness tem seus benefícios, mas porque não começa praticando um pouco de cada para ver qual dos dois te agrada mais.

O importante é adotar uma prática que você realmente goste de fazer e se sinta bem em estar realizando.

Para mais informações consulte nossos professores na Mais Consciente, aqui temos profissionais altamente qualificados prontos para lhe instruir e tirar qualquer dúvida.

E ai gostou desse artigo? Caso tenha se interessado a Mais Consciente oferece um curso de meditação e Mindfulness em Recife, um curso prático que dentro de 8 semanas, você vai estar aprendendo a dominar as técnicas da prática.

Como aprender a meditar

Como meditar: 6 passos para aprender a meditar sozinho

Atualmente muitas pessoas vivem uma rotina estressante, seja de trabalho, estudos ou família, são muitas tarefas para pouco tempo.

Essas responsabilidades vão gerando uma carga muito estressante, cansativa e geralmente por falta de tempo, as pessoas acabam sendo negligentes com sua saúde mental e autocuidado.

Não é para menos que a doença do século foi considerada a depressão, por isso é essencial que as pessoas comecem a cuidar mais do seu bem-estar.

Mas apesar destes números ruins, nos últimos anos percebe-se um aumento no número de pessoas interessadas em aprender a arte da meditação, a conscientização a respeito do bem-estar e autoconhecimento vem tomando espaço na vida das pessoas.

Se você está pensando em se aprofundar nesta arte, aqui temos algumas dicas ótimas de como você pode começar a meditar, na Mais Consciente você encontra professores extremamente qualificados para lhe instruir.

Agora, se prefere começar a meditar sozinha, confira agora algumas dicas para iniciantes de como aprender a meditar.

1. Motivação

Como sabemos a meditação traz inúmeros benefícios para a saúde, principalmente para a saúde mental do ser humano.

A partir disso, você deve se questionar, para que eu preciso meditar? Quero melhorar em que?

Parece bobo, mas quando temos um objetivo, nossa motivação se torna maior. A chance de você abandonar a meditação se torna menor quando há um objetivo claro para se alcançar.

2. Ambiente e organização

Quando falamos em meditação, escolher um local apropriado para realizar as sessões é extremamente importante, procure locais calmos, sem muitos barulhos ou fatores que possam te distrair.

Portanto, desligue o celular ou outros aparelhos que possam te distrair, se concentre apenas naquilo que está fazendo.

Algumas pessoas ainda preferem meditar em locais abertos como parques, praia ou um campo com uma paisagem bonita, esse contato com a natureza tende a ajudar bastante no relaxamento.

A organização é outra maneira de estabelecer uma rotina de meditação. Por exemplo, defina qual horário você acha melhor realizar a sessão do dia, não se esqueça de planejar isso com antecedência, deixar para decidir no dia pode acabar te fazendo desistindo de meditar neste dia.

3. Postura confortável

Você não precisa sentar-se na posição de lótus, um local e uma posição confortável já bastam.

Se preferir pode meditar sentado em uma cadeira, sofá, cama, se estiver num parque, à grama já basta. O importante é estar sentado de maneira que você não vá se cansar ou sentir incômodo com o passar dos minutos.

O recomendado é que você esteja com a coluna ereta, cabeça e pescoço alinhados e ombros relaxados, as mãos podem ficar sobre o colo.

4. Controle a respiração

Você já deve ter sentido uma forte dor durante algum exercício e falou: “Nossa estou respirando errado”.

Mas já parou para pensar que na maioria do tempo respiramos errado?

O correto é inspirar profundamente expandindo todo o tórax e abdômen e expirar completamente até esvaziar totalmente os pulmões.

Conte até 5 segundos quando inspirar e expire contando até 5, este é um tempo ideal para inspirar e expirar completamente o ar.

Durante a meditação é necessário ter um bom controle da respiração, mas durante o dia não percebemos que estamos fazendo isso errado, portanto comece a praticar este exercício mais vezes.

5. Concentre-se

Para que a meditação se torne realmente eficiente você precisa ter foco e concentração naquilo que está fazendo.

A utilização de artifícios comuns como musicas relaxantes, o vento batendo no rosto, pássaros cantando, respiração controlada, podem ser bastante úteis para manter o foco na meditação.

Outras pessoas utilizam meios mais avançados, como, por exemplo, frases, palavras e mantras que devem ser repetidos várias vezes durante a sessão para poder ter efeito e poder na mente da pessoa.

Palavras e frases simples como “paz”, “felicidade”, “calma” podem ser utilizadas, tudo depende daquilo que você tem como objetivo conseguir com a meditação (volte na dica numero 1).

Se quiser um mantra mais específico, seguindo os ensinamentos do budismo ou yoga você deve consultar um profissional qualificado que tenha o conhecimento necessário para isso. Consulte um de nossos professores na Mais Consciente.

6. Tempo

O tempo que você deve reservar para praticar a meditação varia.

Para quem está iniciando agora, o recomendado é realizar sessões de 5 minutos e conforme sentir que está preparado ir aumento de 5 em 5 minutos.

Não mude sua rotina repentinamente para encaixar a meditação, separe algum momento do dia como, por exemplo, quando acordar, após o café, depois de alguma refeição, antes de dormir ou outro momento que achar melhor.

Benefícios da meditação para a saúde

Sabemos que a meditação se praticada corretamente e com frequência possui um forte poder sobre nossa mente e corpo, aqui estão os benefícios mais comuns da meditação:

  • Controle dos pensamentos, você aprende a observar com mais clareza seus pensamentos e passa a tomar decisões com mais sabedoria;
  • Melhora no foco e concentração para realizar tarefas diárias ou durante algum momento de estudos e aprendizagem;
  • Diminui a insônia, relaxa o corpo e a mente;
  • Ajuda no tratamento da depressão e outros transtornos mentais;
  • Controla o estresse e ansiedade;
  • Ajuda no tratamento de distúrbios alimentares e obsessivo-compulsivos.
Conheça os benefícios da meditação para crianças

Benefícios da meditação para crianças + 5 dicas de como ensinar seu filho a meditar

Seu filho é uma criança muito agitada, ansiosa ou muito dispersa? A solução para esse problema está aqui, a meditação.

A meditação como você já deve saber não é somente para adultos ou pessoas mais velhas, todos com qualquer idade pode meditar, praticando a meditação você só obtém benefícios.

Não é tão popular, mas a meditação infantil é extremamente vantajosa para os pequenos, ela ajuda a aliviar sintomas de ansiedade, agitação, estresse, melhora a concentração e foco das crianças sendo um forte aliado para o aprendizado durante as aulas, na escola e em atividades no geral.

Agora você deve estar se perguntando, como eu vou fazer meu filho sentar quietinho para meditar se ele não para 1 minuto?

A resposta pode não ser tão simples assim, mas  tenho aqui 5 dicas de como ensinar seu filho a meditar.

1. Tenha paciência e seja um exemplo

Paciencia na hora de meditar

Paciência na hora de meditar

Como disse acima, não é tão simples ensinar uma criança a meditar, isso leva tempo, requer muita paciência e calma.

É um processo, gradativo os pequenos irão se acostumar e passar a gostar de praticar a meditação.

Uma técnica muito boa e bastante utilizada é a meditação em família, este pode ser um momento em que todos da casa se reúnem para realizar uma atividade, juntos. Crianças adoram essa união da família e pode ser bastante interessante pra eles.

Se na sua casa apenas você medita, procure meditar em horários que seu filho está por perto, crianças tendem a ser muito curiosas, e neste caso a curiosidade pode ser um forte aliado para você.

No início será difícil conseguir manter o foco da criança por muito tempo, ainda mais se for uma criança muito hiperativa, tenha paciência, não brigue e não chame a atenção, com calma, você convida a criança para se concentrar novamente, se ela realmente não quiser não a obrigue a continuar, uma atividade que deveria ser prazerosa poderá se tornar um “castigo” para a criança.

2. Concentre-se na respiração

Para qualquer pessoa que esteja começando a praticar a meditação e tem dificuldades para se concentrar esta técnica sem dúvida alguma é a melhor.

Existem duas formas de você conseguir a atenção e foco da criança durante este exercício, primeiro você pode dizer suavemente para a criança prestar atenção no ar que ela respira pelo nariz, enche o pulmão e solta pela boca, esvaziando o peito. Repita isso algumas vezes para ajudar no exercício.

Outra forma de fazer isto é com a criança deitada, coloque uma pedrinha, um brinquedo ou um pequeno objeto sob o abdômen da criança e diga para ela observar o brinquedo subindo quando ela respira e descendo quando ela expira.

3. Paisagens ou focos de concentração

Esta técnica pode ser feita de duas formas, pode sentar-se com a criança em um ambiente da casa que seja mais calmo, colocar, por exemplo, uma vela acesa e pedir para que ela olhe para esta vela.

Se seu pequeno for uma criança mais agitada e este método não tiver dado certo, leve ele ao parque da sua cidade ou algum lugar com paisagens bonitas e que seja mais calmo.

Algumas pessoas gostam de forrar uma toalha na grama (como se fosse um piquenique), sentar com a criança e pedir que ela observe as árvores, sinta o vento, escute os pássaros, dessa forma você estará mantendo a criança relaxada, calma e poderá ser uma forma eficiente de manter a concentração dos seus filhos, afinal será uma atividade diferente.

4. Imaginação

Utilizando os métodos da meditação guiada você poderá contar histórias simples de modo que a criança mantenha o foco presente no que você diz. Por exemplo:

“Imagine que o ar que você está respirando são pequenas bolinhas brancas e brilhantes, essas bolinhas estão entrando pelo seu nariz, enchendo seu pulmão e saindo, cada vez mais essas bolinhas brilhantes estão entrando, agora você tem bolinhas brilhantes por todo seu corpo, você está cheio de bolinhas brilhantes, essas bolinhas entram e saem quando você respira, elas estão levando embora tudo de ruim que você está sentindo e trazendo muitas coisas boas.”

Essa pequena história é uma forma de treinar o foco e a respiração da criança, é uma maneira de ajudar a relaxar e a criança não perder a concentração no exercício.

Você pode inventar sua própria história, usando paisagens com árvores, uma praia, algo que seja tranquilo e leve.

Outro complemento para este exercício é utilizar uma música relaxante de fundo, em uma história de mar você pode utilizar sons de água para ajudar a ilustrar.

5. Sons e frases

Diferente da música relaxante, os sons utilizados aqui podem ser uma badalada de um sino, o toque em uma corda de violão ou outro instrumento que emita um som contínuo.

Peça para a criança prestar atenção no som ate que ele desaparece e fique tudo em silêncio, repita algumas vezes sem que a criança enjoe do barulho.

As frases podem servir de “mantra” peça para que a criança diga em voz alta sentimentos bons que ela quer sentir naquele momento, por exemplo:

“Eu quero ser uma criança feliz”

“Eu quero ficar calmo”

“Eu sou uma criança cheia de luz”

Essas frases podem ajudar e incentivar a criança a praticá-las mesmo estando longe de casa, em algum momento de ansiedade ou estresse, a criança pode repetir frases positivas e ajudar a aliviar a tensão para se acalmar.

Conheça 5 mitos sobre meditação

Conheça 5 mitos e verdades sobre meditação !

Sem dúvida alguma nossa geração vive uma vida agitada, de muito trabalho, muitas tarefas, muitas responsabilidades e muitas cobranças. Todos esses fatores vão se acumulando e gerando cargas negativas, um peso e muito estresse sobre nossa mente e corpo.

Para aliviar o estresse e ansiedade entra a meditação, essa prática vem se tornando cada vez mais “popular” entre as pessoas, hoje é possível assistir tutoriais de meditação no youtube, baixar aplicativos de celular ensinando passo a passo de como meditar.

Mas com essa forte disseminação da prática da meditação algumas essências que ela possui se perderam e alguns mitos foram surgindo.

Confira agora quais são os mitos mais populares a respeito da meditação.

1. Não pode pensar em nada

Sem dúvida alguma este é o mito mais comum a respeito da meditação, quem nunca, ouviu alguém dizer: “Para meditar você precisa manter sua mente limpa, não pensar em nada”.

É quase impossível você não pensar em nada e manter a mente “limpa” principalmente se você é uma pessoa com uma rotina muito agitada.

O papel da meditação neste caso é ajudar a pessoa a relaxar a mente, organizar os pensamentos para observá-los com mais clareza e se necessário tomar decisões com mais sabedoria e confiança.

Se uma pessoa interrompe todos os pensamentos na hora da meditação “mantendo a mente limpa”, quando ela parar de meditar os pensamentos irão voltar como turbilhões, e ai não vai ter adiantado nada ter meditado, concorda?

2. Precisa estar sentado em posição de lótus/Buddha

Posição de lutus na meditação

Posição de lutus na meditação

Caso ainda não conheça a posição de lótus é o famoso jeito de senta-se com as pernas cruzadas e os pés em oposição às coxas.

Estar nesta posição para meditar não é uma regra e não é por causa dela que você vai conseguir meditar.

Para iniciantes e principalmente pessoas que têm pouca elasticidade estar nesta posição é muito difícil, essa dificuldade e desconforto, durante a sessão irá tirar toda sua concentração.

Portanto, a posição adequada para meditar é aquela onde você se sente confortável.

Você pode sentar em um sofá, cadeira ou no chão com as pernas cruzadas se preferir, as únicas regras são que ao começar a sessão você mantenha uma postura correta, colona ereta, cabeça, pescoço e ombros relaxados.

3. Meditação é uma religião

Errado, a meditação não pertence a uma religião. Ela vem de tradições budistas, mas você não se torna budista apenas por meditar, inclusive há registros em que o próprio Buddha ensinava meditação para diversas pessoas, sem se preocupar com religião, idade, gênero ou classe social.

E ao contrário do que as pessoas pensam, a meditação convida a todos para participar das sessões e meditar juntas sem se importar com crenças religiosas. Neste espaço, todos são bem vindos.

4. Eu não consigo meditar, isso não é pra mim

Pensamentos limitantes como estes tornam a prática da meditação algo impossível de se realizar, mas é algo comum de se ouvir, principalmente quando vem de uma pessoa muito ansiosa.

Não sinta que meditar é impossível, se manter esse pensamento a meditação realmente será impossível, portanto se permita tentar.

Quando uma pessoa começa a meditar, logo nas primeiras semanas ela percebe a mudança física, mental e emocional.

Conforme a prática se torna rotineira as mudanças acontecem com mais intensidade, é possível perceber que quem medita passa a olhar a vida e encarar os problemas diários com mais leveza.

5. Não tenho tempo para meditar, demora muitas horas

Para quem está começando o ideal é manter sua rotina como está acostumado e dispor gradualmente alguns minutos quando acordar, antes ou depois do café, durante o horário de almoço, após o trabalho, antes de dormir, em algum momento do dia você consegue usar alguns minutos para isso.

Geralmente os iniciantes praticam de 5 a 10 minutos de meditação para acostumar o corpo e a mente, e assim vão aumentando gradativamente o tempo de meditação, mas realmente não adianta nada se nestes 5/10 minutos você estiver inquieto e distraído com algo.

É importante que você não comece a praticar a meditação durante muitas horas, o ideal é começar com poucos minutos e ir aumentando conforme se sentir preparado, o risco de você se cansar e abandonar a prática desta forma é muito menor.

Como me aprofundar na meditação?

Uma dúvida recorrente é como se aprofundar na prática da meditação, iniciar aos poucos ir aumentando o tempo, mas como posso dominar a prática e fazer um hábito constante em minha vida?

A Mais Consciente oferece cursos, ministrados por Felipe Lapa, Instrutor de Meditação e mindfuness em Recife a mais de 10 anos.

O Curso de meditação e mindfulness desenvolvido em recife, tem a duração de 8 semanas, com duas 2 horas de duração cada encontro uma única vez por semana.

Ou também você pode iniciar em nosso curso grátis no Youtube, veja o primeiro vídeo do curso grátis de meditação.

Esperemos que você tenha gostado dessas dicas! Gostaria de complementar com alguma informação ou contar sua experiência com a meditação? Deixe um comentário logo a baixo.